Resenha: Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1


Olá pessoas!! Bom, depois de um ano e quatro dias (e dois post no blog) de espera desde o lançamento de Em Chamas, A Esperança - Parte 1 finalmente chegou às telonas do Brasil no dia 19 de novembro de 2014!

Eu estava extremamente ansiosa, animada, eufórica para ver esse filme. Os ingressos entraram em venda antecipada aqui na minha cidade (assim, como em muitas outras cidades por aí) e eu queria comprar logo, mas o que aconteceu? Eu acabei comprando um dia antes... mas isso a gente releva, porque ainda contava como compra antecipada e eu ainda ganhei um pôster (<3)! Bom, eu fui na terceira sessão do dia da estréia, dia 19, e só não fui na primeira porque estaria na escola. Gente, fiz até uma camisa pra ir ver o filme. Ficou meio... estranha... mas isso a gente também releva porque foi a primeira camisa que eu personalizei na minha vida (pensando assim ficou até bem legal). Nela eu escrevi a frase que Beetee falou no segundo teaser do filme "The Mockingjay Lives" e desenhei o tordo tradicional, o que tem a flecha, e essa foi a parte mais legal da camisa. 
Eu queria ter ficado na fila do cinema para ver o filme, mas devido à um imprevisto, acabei chegando um pouco atrasada e perdi os primeiros 2 minutos do filme talvez, e ainda tinha gente sentada no meu lugar (porque agora no cinema a gente escolhe a poltrona), sorte que o lanterninha tava lá haha.

Mas enfim, chega de falar da minha vida e vamos ao filme.

A Esperança - Parte 1 traz Katniss, muito mais abalada e com duas passagens pelos Jogos Vorazes na bagagem, já no secreto Distrito 13 envolvida em uma revolução que mudará ou destruirá Panem. Ela deve decidir se vai colaborar com tudo isso se tornando o Tordo, o rosto da revolução. Seu povo, sem lar, foi acolhido no Distrito 13, porém, mesmo com sua família e seu amigo mais próximo por perto, ela ainda se sente perdida sem a pessoa que faz com que tudo seja mais claro. Peeta foi levado pela Capital.

"Meu nome é Katniss Everdeen. Tenho dezessete anos. Meu lar é o Distrito 12. Participei dos Jogos Vorazes. Escapei. A Capital me odeia. Peeta foi levado como prisioneiro. Imaginam que ele esteja morto. Há uma grande chance de ele estar morto. Provavelmente é melhor que esteja morto..."

Não sei se esperava que o filme tivesse muita ação, por ser a parte do livro que é mais parada em relação à isso. Mas depois de ver os teasers, trailers, fotos e tudo mais da divulgação comecei a pensar melhor sobre isso, porque pude ver flashs de bastante ação. E quando vi o filme percebi que conseguiram inserir cenas de ação bem elaboradas. Uma das cenas que teve bastante ação, foi a cena no Distrito 8 quando a Capital manda bombardear um hospital cheio de feridos por eles terem apoiado Katniss que estava lá com sua equipe. É uma das partes que eu mais gosto no livro que é onde Katniss percebe o que ela pode fazer, a influência que tem. E é daí que vem uma das frases mais famosas de toda a trilogia. 

"Eu tenho uma mensagem para o presidente Snow.
Se nós queimarmos,
Você queimará conosco!"
Bom, as atuações. Acho que houve uma grande evolução do primeiro filme pra cá em questão das atuações. A Jennifer fez muito bem todas as expressões de medo, angústia, calma. E também interpretou muito bem a Katniss não sabendo interpretar. Elizabeth Banks manteve toda a graciosidade de Effie, mesmo sem todas as roupas, perucas, maquiagens e acessórios da Capital. Ah e o Josh... Gente, o Josh foi maravilhoso interpretando o Peeta neste filme, mesmo que ele aparecesse apenas em algumas partes, as expressões no rosto dele mostravam muito bem, a cada entrevista que ele aparecia, tudo que ele estava passando (eu sei, a maquiagem ajudou). Falando em maquiagem, uma salva de palmas para os maquiadores desse filme, porque Josh parecia mesmo ter sido torturado e também os feridos no hospital no Distrito 8, aquilo me causou calafrios de tão realista.

Effie. Esse era um ponto que eu queria muito falar aqui. No livro, ela quase não aparece. Porém no filme eles deram uma atenção à ela que foi essencial para a construção do enredo, porque para as pessoas que não leram os livros, inserir uma personagem nova como Fulvia, seria confuso, por isso achei interessante o fato de colocaram Effie ainda como acompanhante de Katniss. 

Uma coisa que eu achei muito legal no filme e que eu gosto em adaptações em geral é que você não vê apenas o ponto de vista do personagem que narra o livro. Isso em A Esperança se mostrou quando pudemos ver o que acontecia em outros distritos e também o que acontecia na Capital nas cenas com Snow. E o que me anima é que Suzanne Collins participou da criação de todas essas cenas, então mostra mais veracidade dentro da história.

Uma coisa que eles tiraram foi quando Katniss pede para que todos os vitoriosos sejam resgatados da Capital e perdoados de tudo que forem acusados, no livro ela inclui Enobaria, tributo do Distrito 2 que participou do Massacre Quaternário, e no filme, simplesmente, ela não é mencionada. Eu sei que isso é um mero detalhe, mas ficou martelando na minha mente quando estava assistindo ao filme. Porém, não é como a exclusão completa de Madge, a filha do prefeito que dá o broche do Tordo a Katniss, de todos os filmes.

Destaque para Buttercup que deu um show correndo atrás da luz da lanterna!

O ponto onde o filme acabaria gerou muitas discussões durante o ano e ele realmente acabou onde a maioria das pessoas achou que acabaria, talvez alguns minutos depois. SPOILER A cena em que Peeta chega ao 13, Katniss vai ao seu encontro e acaba sendo estrangulada com selvageria por Peeta. Achei essa cena muito bem construída no cinema, porque no livro apenas identificamos ela com uma frase. FIM DO SPOILER.

A última coisa que vemos no filme simplesmente destruiu meu coração. De verdade. Aquele Peeta... ah gente, eu amo muito o Peeta, aquilo foi covardia... Quando acabou eu fiquei sentada olhando para a tela sem ação. Realmente deu muito aquele gostinho de quero mais e eu fiquei com pena de quem não leu os livros, porque ficou mil vezes mais com esse gostinho.

Yellow Flicker Beat começou a tocar com os créditos passando a frente dos meus olhos e eu me convenci a levantar e sair.  

Em geral, eu gostei muito do filme! Teve toques de humor, ação, e drama, muito drama. Um adjetivo que eu atribuí a ele quando saí do cinema foi "destruidor", porque realmente, ele foi. E agora, mal posso esperar pela parte 2 com animação e tristeza por ser o último.

Bom, espero que tenham gostado desse post pequenininho (só que não)!

Um beijo da Thalita e até o próximo post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário